terça-feira, 3 de março de 2009

UM HOMEM PRIVILEGIADO

Mas um dos serafins voou para mim trazendo
na mão uma brasa viva
que tirara do altar com uma tenaz (Isaías 6.6).

Que homem abençoado e privilegiado foi Isaías.
Ele, ao sentir o seu pecado,
teve um dos serafins
de Deus voando em sua direção com uma brasa
tirada do altar com uma tenaz.
A brasa estava tão quente,
que o anjo não pôde retirá-la com a mão.
Ao tocar nos lábios do profeta,
a transgressão dele foi removida,
mas sua boca não se queimou.
Assim é o fogo de Deus,
o qual Ele nos dá ao sermos
batizados no Espírito Santo.
Com ele,
“queimamos” o inimigo que atormenta o
interior das pessoas, mas não
causamos dano a elas.
O que nos purificou da iniquidade foi
o sangue de Jesus
derramado na cruz do Calvário (1 João 1.7).

O profeta Isaías tem sido
considerado o mais
esclarecido das Escrituras, porque
entendeu a vontade
de Deus como ninguém, apesar de ter
vivido mais
de 700 anos antes de Jesus nascer.
Ele teve uma visão do Senhor assentado sobre
Seu trono e tremeu, pois sabia
que era um homem pecador.
No entanto, o privilégio de ter visto
o Senhor veio
com a bênção de ter tido seus
lábios tocados e purificados.

Enquanto tremia por ter visto o Rei da Glória,
avistou um dos serafins voar até ele, trazendo
uma brasa em uma tenaz que tirara do altar de Deus
para tocar seus lábios e purificá-los.
Uma lição que fica é que o Senhor jamais revela
algo para nos causar prejuízo, mas, sim,
para realizar uma obra maior
(Isaías 55.11; 1 Coríntios 12.7).

É interessante notar que a brasa era tão quente,
que o anjo teve de usar uma tenaz.
Mas também é importante observar que ela não
queimou o corpo do profeta. O fogo de Deus para
purificar não traz dano algum, ele só cumpre
a missão que o Senhor lhe deu.

Quando somos batizados no Espírito Santo,
o fogo que recebemos dos Céus não causa
prejuízo em nós nem nas outras pessoas.
Ao contrário,
purifica do pecado, desfaz as obras do inimigo e
traz a bênção do Alto para todos.

Quem é filho de Deus precisa desse fogo.
Sem ele, a obra que fazemos torna-se igual a
qualquer outra feita pelo homem.
Com o fogo ardendo em nosso coração,
encontramos palavras que despertam os pecadores,
curam as enfermidades e desfazem as obras
do reino das trevas (Marcos 13.11).
Sem esse fogo, tudo o que temos é
uma religião morta,
igual às demais existentes pelo mundo afora.

Se você ainda não é batizado com
o Espírito Santo e com fogo,
peça ao Senhor que o batize, porque
quem não tem esse
poder não consegue obter sucesso.

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

Nenhum comentário:

Postar um comentário